Diminui o teu impacto, a começar à segunda-feira

Em 2009, Paul Mccartney dava palco à preocupação crescente com as alterações climáticas e sugeria que, se cada pessoa passasse a ter um dia vegetariano por semana, esta mudança teria um impacto brutal no ambiente. Surgiram então as Segundas Sem Carne, um movimento de consciencialização sobre o impacto do consumo de carne.  Apesar de ainda haver muitas pessoas que não acreditam que o consumo de carne tem um elevado impacto ambiental, de acordo com um estudo feito pela revista Nature e citado pelo Jornal económico, “cada cidadão deveria, em média, reduzir 75% do seu consumo de carne de vaca, 90% de carne de porco e comer metade da quantidade de ovos. Já o consumo de leguminosas deveria triplicar, enquanto o consumo de frutos secos e sementes deveria quadruplicar".

Segundo o Meatless Monday, um outro site dedicado a incentivar as Segundas Sem Carne, pelo menos, 19 boas razões para comer menos carne em 2020, que aqui resumimos assim:

Melhorias na saúde: redução do risco de doença cardiovascular, diabetes tipo II, ACV, estabilização de um peso saudável e melhoria da saúde dos rins.

Diminuição do impacto negativo da produção de gado: a produção de gado ocupa extensas áreas de floresta, utilizando 75% da terra para agricultura que existe no planeta; requer uso intensivo de água (a produção de 100 gramas de carne de vaca necessita de mais de 1500 litros de água, o suficiente para encher 6800 copos de água para beber), fertilizantes, pesticidas e combustíveis fósseis; é um factor dos mais importantes na poluição da terra e água; a vaca, porco e aves de capoeira emitem grandes quantidades de dióxido de carbono, metano e outros gazes que aumentam o efeito de estufa; tem um impacto negativo nas comunidades pequenas, sobretudo nos pequenos produtores rurais;  o estrume do gado contém uma variedade de agentes patogénicos, como e. Coli, hormonais de crescimento e antibióticos, fazendo com que os dejectos de animais contaminem a água para beber e os lençóis freáticos.

Encarar como uma oportunidade: para reunir família e amigos em torno de um objectivo (saudável) comum; aproveitar a facilidade de existe hoje em dia de encontrar produtos vegetais em supermercados, restaurantes e até cadeias de comida rápida que, por sua vez, facilitam a adoção da prática das segundas sem carne; e também explorar novos ingredientes, entre frutas, vegetais, leguminosas, cereais, frutos secos.

Para terminar, é bem provável que seja bem visével a poupança na conta da mercearia.

 

Para quem ainda acha que comer uma refeição vegetariana é comer salada, acompanhamento e ficar a pensar que falta qualquer coisa, uma pesquisa rápida leva-nos a receitas simples e deliciosas que põem qualquer inexperiente a cozinhar um irresistível prato vegetariano. Martilicious_food e alhofrances são dois bons exemplos de páginas onde podemos encontrar pratos vegetarianos muito interessantes e, na maior parte das vezes, mesmo deliciosos e fáceis e de cozinhar. Para quem prefere os livros, a Gabriela Oliveira tem um trabalho fantástico, com vários livros publicados que ensinam a fazer de forma muito fácil deliciosas receitas vegetarianas para o dia a dia e mesmo para bebés e crianças. 

Deixem nos comentários as vossas sugestões e receitas preferidas.

Sejam curiosos e bom apetite!

 

Créditos da imagem: Meat Free Mondays (https://www.meatfreemondays.com/)

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos